Tudo Sobre Brechós: Por que Investir Neste Mercado em Crescimento?

Você quer abrir um negócio e não sabe em qual setor investir?

Dê uma chance ao setor de roupas, mais especificamente ao de brechós. Venha conhecer o crescimento do brechó no mercado atual e seu sucesso em meio às lojas já renomadas.

1-  Preços mais acessíveis.

Atualmente, no contexto brasileiro, sabemos como pode ser difícil comprar uma roupa nova ou de marca, que pode chegar a custar R$300,00, como solução desse problema, muitas pessoas optam por comprar roupas em brechós, sendo um local em que pode encontrar tanto roupas antigas de marca, quanto até as mais atuais, o que acaba valendo a pena tanto para o cliente, quanto para o dono do brechó

O setor de roupas está muito em alta entre os jovens, por não possuírem independência financeira para bancar alguns luxos, muitos preferem comprar em brechós buscando roupa de segunda mão de qualidade.

2- Reutilização e reparação de roupas de segunda mão

O brechó, que possui foco em roupas usadas, pode aceitar doações ou até mesmo comprar roupas de pessoas que queiram vender suas roupas ao atualizarem seus guarda-roupas. Sendo assim, o custo benefício e o lucro do empreendimento aumenta, tendo em vista a compra de roupas com valores abaixo do mercado. Com isso, dependendo das condições da roupa, pode ser vendida por cerca de um terço do seu valor original.

3- Baixo custo de investimento inicial

Como um brechó pode ser tanto físico, quanto digital, ao não necessitar de um espaço físico para funcionamento, ele se torna funcional ao não depender de meios que necessitam de investimento como aluguel de espaço e até mesmo funcionários. Além disso, muitos brechós aceitam doações e até mesmo trocas de roupa para vender mais, como por exemplo, doe 2 peças de roupa e ganhe 50% de desconto em uma compra acima de 100 reais. 

4- A facilidade da internet

A internet facilitou o cotidiano dos indivíduos e no cenário das lojas de roupas e brechós não foi diferente. A internet auxilia muito nas publicações e no marketing de um brechó, com isso, é necessário oferecer roupas de qualidade, e um bom atendimento. Logo, os meios digitais são essenciais para o e-commerce e além disso,  favorecem o atendimento de clientes de outras localidades.

E aí, precisa de ajuda para escolher um setor para investimento? Entre em contato com a Iniciativa Consultoria e nós ajudaremos você!

Como as redes sociais afetam o comércio?

As redes sociais se popularizaram muito durante as últimas décadas e estão cada vez mais presentes no cotidiano das pessoas. Atualmente, é muito raro encontrar alguém que não possua pelo menos uma rede social. Por isso, as mídias sociais estão afetando diversas áreas em todos os sentidos cada vez mais e, uma delas é o comércio.

A partir disso, a Iniciativa trouxe para você algumas análises sobre como as redes sociais podem impactar o comércio!

QUAIS SÃO AS MUDANÇAS QUE AS REDES SOCIAIS TROUXERAM AO MERCADO?

  1. Aumento da visibilidade da marca

Atualmente, segundo a Forbes Brasil, nosso país é o terceiro maior país que consome redes sociais no mundo, desse modo podemos perceber como as redes sociais estão presentes no cotidiano dos brasileiros.

Se analisarmos esses dados podemos encontrar oportunidades que as redes sociais trazem ao comércio, uma delas é o aumento da visibilidade da marca. Como as pessoas estão constantemente conectadas às redes sociais, estas, se forem utilizadas de forma correta, acabam por se tornar uma vitrine para o seu produto! 

  1. Inserção de jovens no comércio

É notório que uma parte significativa das pessoas que estão conectadas à redes sociais é o público juvenil, isso provavelmente se deve ao tempo livre que estes possuem em relação aos adultos. Entretanto, esses jovens podem aproveitar as diversas informações que a internet nos traz e o tempo livre para se inserir dentro de algum negócio ou até mesmo tornar as redes sociais sua própria fonte de renda.

Um exemplo disso é o jovem Enaldo Lopes, ou também conhecido como “Enaldinho”, que começou com um canal no youtube que atualmente possui 30 milhões de seguidores e 3,2 bilhões de visualizações e o pico mais assistido no país.

  1. Criação de lojas virtuais

No ano de 2022 foi registrada a abertura de 36 mil lojas virtuais no Brasil Ainda nesse, foi registrada a marca de 565 mil lojas virtuais em todo o Brasil.

Atualmente, por conta da internet e redes sociais, tornou-se mais fácil e mais barato criar uma loja, uma vez que ela pode ser digital. Assim, torna-se mais viável por haver menos custos, dando maior oportunidade para pessoas que têm a vontade de empreender e, ao mesmo tempo, movimentando o comércio.

  1. Inovações no setor

Nos dias atuais, a internet e redes sociais  são fontes de informação muito utilizadas, graças a rapidez que as informações passam por ela. Isso pode acabar servindo como uma oportunidade para seu negócio!

Devido a facilidade em captar informações, é muito simples saber o que está em alta no comércio em geral. Com isso, os comerciantes podem utilizar essas informações para ajustar seus estoques e estratégias de marketing, maximizando assim suas oportunidades de venda. Entretanto, as tendências mudam com bastante frequência, dessa forma os comerciantes devem verificar constantemente as tendências do mercado para garantir que estão atendendo às demandas dos consumidores de forma eficaz.

  1. Posicionamento da marca 

Somente entre setembro e dezembro de 2023 foram abertas 1.150.149 milhões de empresas no Brasil. Logo, notamos quantos brasileiro colocam em prática o seu sonho de abrir sua empresa. Entretanto, muitos que querem ter seus próprios negócios não possuem conhecimento para manter o projeto ativo e viável. 

Um dos maiores erros é a falta de posicionamento da marca, ou seja, quando o seu negócio não tem a sua identidade própria, o que faz com que ele seja esquecido pelos consumidores, e não lembrado. Porém, atualmente as redes sociais possibilitam que essa identidade seja formada de modo muito mais simples, por meios de posts que caracterizem a imagem que a empresa quer  passar, pelo seu discurso, diferencial e posicionamento na internet. 

E aí, precisa de ajuda para alavancar as redes sociais da sua empresa e definir seu posicionamento? Entre em contato com a Iniciativa Consultoria e nós ajudaremos você!

Entenda o que é Plano Estratégico e como ele pode te ajudar!

Você sabe o que é um Planejamento Estratégico e como ele pode ajudar a sua empresa?

Nesse artigo iremos te explicar o que é, algumas etapas desse serviço e como ele pode auxiliar o seu negócio.

O Plano Estratégico é o processo que dá direcionamento às ações da empresa para os próximos anos, visando atingir os objetivos e a visão que a empresa possui, com os recursos que ela pode contar. Serve para guiar a empresa e deixar claro aos funcionários e sociedade onde ela deseja chegar e como planeja fazê-lo, através de metas e planos de ação. 

A elaboração de um Plano Estratégico é baseada na missão, que é o propósito da organização existir, visão de futuro, que é onde a empresa se enxerga em determinado período de tempo e os valores da empresa. 

Após ter isso bem definido, realizamos uma análise dos ambientes com uma matriz conhecida como SWOT, um acrônimo que possui as iniciais em inglês dos quadrantes que ela aborda: forças, fraquezas, oportunidades e ameaças.

Mas o que cada quadrante significa?

1- Forças 

As forças são pontos do ambiente interno (dentro da organização e suas relações) e são os diferenciais, pontos fortes que fazem o cliente escolher o negócio. Alguns exemplos são: força de trabalho bem capacitada, produto/serviço exclusivo, maiores recursos financeiros, maior eficiência operacional, tempo de mercado, entre outros.

2- Fraquezas 

As fraquezas, assim como as forças, competem ao ambiente interno e são as questões que são ruins para o negócio, como custos altos com logística, gastos maiores com manutenção, força de trabalho desmotivada ou incapaz.

Ambiente Externo

Nessa parte, surgem questões externas que podem afetar a empresa, mas que fogem do controle dela. Dessa forma, é essencial que a empresa se mantenha vigilante quanto a tudo que possa influenciá-la, positiva ou negativamente. Alguns exemplos de aspectos externos podem ser legislação, economia, taxa de juros e câmbio, clientes, concorrência, fornecedores, tendências, barreiras de entrada no mercado etc.

3- Oportunidades 

As oportunidades, diferentemente das duas acima, fazem parte do ambiente externo. Elas representam os fatores que a empresa pode se aproveitar para ser favorecida, como mudanças e tendências no mercado, sazonalidades favoráveis, fatores econômicos etc.

4- Ameaças 

As ameaças consistem nos fatores externos que podem trazer complicações à empresa, como alta concorrência com diferencial forte, fornecedores com preços altos, aumento de impostos, recessão econômica etc.

Depois de definirmos os 4 componentes, o que vem a seguir?

Por fim, após a análise desses quadrantes, cruzamos os seus resultados e assim, a equipe de consultores consegue ter ideias para melhorias, segurança, soluções de problemas, oportunidades e muito mais! Podendo definir os objetivos, dividi-los em metas SMART (específicas, mensuráveis, alcançáveis, realistas e temporais) e adotar a estratégia e planos de ação que fazem mais sentido para a organização.

 O plano estratégico é essencial para trazer clareza aos funcionários da empresa para guiar as ações que vão ser tomadas, pois se não se sabe onde quer chegar e não possui um caminho traçado para alcançar, as pessoas podem ficar perdidas em suas responsabilidades e tarefas. O plano vai dar o norte para as atividades e decisões.

Está precisando de uma análise completa da sua empresa e um plano para guiar a estratégia a ser tomada? Venha conhecer o Planejamento Estratégico da Iniciativa Consultoria.

Vale a pena entrar para uma Empresa Júnior?

Você sabe onde surgiu a primeira Empresa Júnior? O que é uma EJ? Gostaria de participar deste movimento? Hoje, a Iniciativa Consultoria, uma Empresa Júnior federada pela Rio Júnior, irá explicar o movimento e os seus benefícios para as carreiras de jovens universitários.

Para isso, vamos voltar um pouco no tempo!

Em 1967, alunos da ESSEC (Business School – École Supérieure des Sciences Economiques et Commerciales), localizada ao norte da cidade de Paris, notaram a necessidade de pôr em prática os conhecimentos adquiridos em sala de aula. Assim, eles fundaram a Junior Entreprise. 

Dentro de dois anos, já existiam mais de 20 empresas na França. Logo, decidiram se unir e criar a Confederação Francesa de Empresas Juniores.

O movimento só chegou ao Brasil em 1987, quando João Carlos Chaves, Diretor da Câmara de Comércio Franco-Brasileira, orientou alunos de Administração da Fundação Getúlio Vargas de São Paulo a fundarem a primeira empresa júnior do Brasil: a EJFGV.

Mas afinal, o que é uma Empresa Júnior (EJ)?

Uma empresa júnior é uma organização formada exclusivamente por estudantes. Dependendo da EJ, ela pode aceitar alunos de diversos cursos. Aqui na Iniciativa, aceitamos alunos matriculados em qualquer graduação da UERJ. 

Os serviços prestados e os clientes alcançados são diversos, desde oferecer consultoria relacionada a negócios (como é o nosso caso) até a criação de plantas na construção civil (como o caso das EJs de engenharia).

Para ser considerada uma EJ, qualquer empresa deve estar vinculada a alguma instituição de ensino superior. Nossas atividades são monitoradas e orientadas por nossos professores e profissionais especializados.

Benefícios de Pertencer a uma Empresa Júnior (EJ)

Fazer parte de uma Empresa Júnior (EJ) oferece uma série de vantagens e oportunidades para estudantes universitários. Vamos explorar alguns dos benefícios mais significativos:

  • Aplicação dos Conhecimentos na Prática:

Na graduação, os estudantes aprendem conceitos valiosos em sala de aula. A EJ proporciona a oportunidade de aplicar essas teorias no mundo real. Isso ajuda a consolidar o conhecimento e a enxergar os conteúdos sob diferentes perspectivas.

  • Experiência Empresarial desde o Início:

Diferentemente dos estágios, que geralmente são acessíveis apenas para estudantes de terceiro ou quarto período, a EJ permite que os alunos iniciem atividades relacionadas à sua graduação desde o primeiro período. Isso significa que os estudantes podem adquirir experiência empresarial desde cedo.

  • Vivência Empresarial:

As EJs operam com processos semelhantes aos de empresas seniores, mas em uma escala menor. A qualidade dos serviços, os processos internos e as ferramentas utilizadas são comparáveis. Ter participado do Movimento Empresa Júnior (MEJ) pode ser um diferencial valioso no currículo profissional.

  • Oportunidade de Crescimento Interno Rápido:

Dificilmente um estagiário se torna diretor em menos de 2 anos. No entanto, em uma Empresa Júnior, essa ascensão é viável. Como as EJs são formadas por estudantes, os cargos de diretoria e gerência são preenchidos rapidamente. Por exemplo, na Iniciativa, uma diretoria dura apenas 1 ano, o que significa que há uma rotatividade frequente de diretores para cargos específicos.

  • Contato Direto com o Mercado:

As EJs já atuam no mercado, prestando serviços a clientes. Isso coloca os membros em uma posição privilegiada para entender o mercado e oferecer consultoria de qualidade. Os clientes podem ser tanto pessoas interessadas em ingressar no mercado quanto empresas já estabelecidas.

  • Desenvolvimento de Soft Skills e Hard Skills em Empresas Juniores (EJs).

Participar de uma Empresa Júnior (EJ) oferece uma oportunidade única para o desenvolvimento de habilidades essenciais. Algumas empresas juniores como a iniciativa oferecem cursos de ferramentas que são pré requisitos de vagas de emprego e são utilizadas nos processos da empresa.

  1. Soft Skills:

Liderança: Trabalhar em equipe e liderar projetos dentro da EJ ajuda a desenvolver habilidades de liderança.

Comunicação: A interação com colegas, clientes e parceiros de negócios aprimora a capacidade de se expressar claramente e ouvir atentamente.

Resiliência: Lidar com desafios, prazos apertados e situações imprevistas fortalece a resiliência.

Empatia: Entender as necessidades dos outros e colaborar de forma eficaz.

Criatividade: Encontrar soluções inovadoras para problemas complexos.

  1. Hard Skills:

Ferramentas de Software: Além das mencionadas (Excel, Power BI, Word), outras ferramentas como Python, SQL, Tableau e AutoCAD também são relevantes.

Gestão de Projetos: Acompanhar cronogramas, recursos e entregas.

Análise de Dados: Coletar, interpretar e apresentar dados relevantes.

Marketing Digital: Compreender estratégias de marketing online.

Design Gráfico: Criar materiais visuais para apresentações e campanhas.

Em resumo, a participação em uma EJ oferece um ambiente propício para o crescimento tanto em habilidades técnicas quanto comportamentais. Essas competências são valiosas não apenas para o mercado de trabalho atual, mas também para o desenvolvimento pessoal e profissional.

Quer saber mais sobre como fazer parte do nosso time e ser um Ininsano? Entre em contato com a gente pelo nosso Instagram!

Quem sou eu? MEI, ME ou EI? Entenda as siglas de uma vez por todas!

Quem sou eu? MEI, ME ou EI? Entenda as siglas de uma vez por todas!

 Você está prestes a abrir sua empresa ou já possui um negócio em andamento? A escolha do CNPJ (Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas) é crucial e vai além dos meros pagamentos de impostos. Ele impacta processos administrativos, responsabilidades pessoais e até mesmo suas oportunidades de investimento. Vamos desmistificar os tipos de CNPJ e ajudá-lo a tomar a decisão mais acertada!

O que é o CNPJ e por que ele importa?

O CNPJ é o registro oficial que atesta a abertura da sua empresa. Além disso, ele revela a natureza jurídica do seu negócio, influenciando a forma como você será tributado e tratado legalmente. No Comprovante de Inscrição e de Situação Cadastral no CNPJ, você encontrará o código e a descrição dessa natureza jurídica.

Agora já entendemos um pouco mais sobre o CNPJ, podemos a começar a classificar os grupos:

1. MEI – Microempreendedor Individual

O MEI é uma excelente opção para empreendedores que estão começando e desejam simplicidade, normalmente profissionais autônomos buscam tal categoria por ser menos burocrática. 

Veja suas características:

  • Faturamento Limitado: O MEI pode faturar até R$ 81.000 por ano (ou R$ 6.750 por mês).
  • Atividades Permitidas: Existem atividades específicas que se enquadram no MEI. 
  • Sem Sociedade: O MEI não pode ter sociedade com outra empresa.
  • Um Funcionário: Você pode ter apenas um funcionário com todos os direitos assegurados.

 

Vantagens do MEI

  • Simplicidade na Abertura: O processo de abertura é gratuito e online no Portal do Empreendedor.
  • Impostos Simplificados: O recolhimento de impostos (ICMS e ISS) é feito via DAS (Documento de Arrecadação do Simples Nacional).
  • Regularização:  Faz com que ex-trabalhadores informais se regularizem e recebam uma série de benefícios como auxílios e aposentadoria.

2. ME – Microempresa

A Microempresa (ME) é uma categoria que abrange diversos grupos (micro empresário individual, sociedade empresária, sociedade simples ou empresa individual de responsabilidade limitada), e se você não atende a pelo menos uma característica necessária para ser MEI, esta pode ser a melhor para você!

 Vamos listar as principais características:

  •  Faturamento Controlado: O faturamento anual da ME deve ser igual ou inferior a R$ 360.000, é uma excelente opção para quem busca simplicidade na gestão financeira.
  •  Sem Sociedade em Outra Empresa:  A ME não pode ter sociedade com outra empresa, isso garante maior controle e agilidade nas decisões.
  •  Patrimônio Pessoal e Empresarial Integrados: Na ME, o patrimônio pessoal e empresarial são considerados como um só, isso simplifica a administração e reduz burocracias.
  •  Número de Funcionários: Caso o negócio seja de comércio ou serviços pode ter até 9 funcionários,  ou até 19 se for setor industrial ou construção.
  • Emissão de Notas Fiscais Obrigatória: Toda operação realizada pela ME requer emissão de notas fiscais, isso garante transparência e conformidade com a legislação.
  •  Formalização na Junta Comercial:  O processo de formalização ocorre na Junta Comercial do seu estado.
  •  Regimes Tributários Flexíveis: A ME pode optar entre os regimes tributários: Simples Nacional, Lucro Real ou Lucro Presumido. Escolha com base na sua realidade e projeções de crescimento.

Vantagens da Microempresa:

  • Capital Social Sem Valor Mínimo: Não há exigência de capital mínimo para iniciar uma ME.
  • Participação em Outras Empresas: Você pode ser sócio ou titular de outras empresas.
  • Flexibilidade nas Férias Coletivas: Não é obrigatório comunicar o Ministério do Trabalho e Emprego sobre férias coletivas.
  • Simplicidade no Pagamento de Impostos: Mesmo não sendo obrigatória a adesão ao Simples Nacional, é uma opção simplificada para pagar impostos.

 

3. EI (Empresário Individual)

O Empresário Individual ou Empresa Individual é a categoria ideal para quem não possui sócios e trabalha por conta própria. Qual é a diferença entre MEI e EI? O EI pode registrar qualquer tipo de atividade econômica em seu objeto social, ao contrário do MEI, que permite apenas as variações listadas pelo Governo.

A empresa individual atua sem a separação entre seus bens pessoais  e jurídicos, semelhante ao MEI. Portanto, o empresário individual é responsável por todas as propriedades do CNPJ.

Observação: De acordo com o Art. 966, considera-se empresário quem exerce profissionalmente atividade econômica organizada para a produção ou a circulação de bens ou de serviços. No entanto, não são considerados empresários aqueles que exercem profissões intelectuais, de natureza científica, literária ou artística, com o concurso de auxiliares ou colaboradores, a mesmo que o exercício da profissão constitua elemento de empresa.

Em outras palavras, profissões como médico, escritor, assistente social, não podem ser considerados EI ou MEI. Quanto ao faturamento, o EI não possui limite de receita, ao contrário do MEI. Quanto  aos funcionários, o EI não tem restrição de contratação. Portanto, se sua empresa está crescendo e precisa expandir a equipe, essa pode ser uma boa opção.

Vantagens do EI:

  • Faturamento Maior que o MEI: O EI pode se tornar uma microempresa ou empresa de pequeno porte.
  • Lucros Exclusivos: Como único titular, você não divide os lucros com sócios.
  • Sem Valor Mínimo de Capital Social: Não há exigência de capital mínimo para abertura.
  • Escolha do Regime Tributário: Flexibilidade para optar pelo regime mais adequado, Simples Nacional ou Lucro Presumido, caso a empresa fature mais de R$ 78.000.000 anuais.

Lembre-se: a escolha do CNPJ é um passo importante. Faça-o com conhecimento e confiança para garantir o sucesso do seu empreendimento. 

Precisa de ajuda? Conte com a Iniciativa Consultoria!

Se você está abrindo uma empresa ou já possui um negócio em funcionamento, sabe que enfrentar dúvidas e desafios é parte do processo. A boa notícia é que estamos aqui para te ajudar! Entre em contato com a gente e marque um diagnóstico gratuito!

Despertando potenciais: Processos Seletivos diferenciados

Em um mercado de trabalho cada vez mais competitivo e dinâmico, processos seletivos tradicionais, muitas vezes focados em currículos e entrevistas padronizadas, podem se mostrar insuficientes para identificar os candidatos com o potencial ideal. 

É aí que entram os processos seletivos diferenciados, que se caracterizam por ir além das avaliações tradicionais e proporcionar aos candidatos uma verdadeira jornada de experiência. 

Vamos explorar como esses processos inovadores podem agregar valor e experiência:

1. Personalização e Engajamento:

Processos seletivos diferenciados muitas vezes envolvem etapas personalizadas que vão além das entrevistas convencionais. Essas etapas podem incluir desafios práticos, testes e até mesmo projetos em grupo. Essas atividades não só permitem que os candidatos demonstrem suas habilidades de forma mais autêntica, mas também os engajam em um nível mais profundo com a cultura e valores da empresa.

2. Feedback Construtivo:

Um aspecto crucial dos processos seletivos diferenciados é o fornecimento de feedback construtivo aos candidatos. Receber insights detalhados sobre seu desempenho ao longo do processo não apenas ajuda os candidatos a entenderem suas áreas de desenvolvimento, mas também lhes proporciona uma oportunidade valiosa de crescimento e autoconhecimento.

3. Desenvolvimento de Habilidades:

Além de avaliar as habilidades técnicas dos candidatos, processos seletivos diferenciados frequentemente incluem oportunidades para o desenvolvimento de habilidades comportamentais e competências essenciais. Workshops, mentorias e palestras são algumas das formas pelas quais os candidatos podem aprimorar suas habilidades durante o processo seletivo.

Exemplos de empresas que utilizam processos seletivos diferenciados:

1. Google: Reconhecida mundialmente como uma das melhores empresas para trabalhar, o Google utiliza a ferramenta interna qDroid para prever o desempenho dos profissionais contratados. Durante as entrevistas, os recrutadores testam características comportamentais por meio de questões padronizadas, buscando respostas brilhantes e convincentes dos candidatos.

2. Heineken: Conhecida por sua criatividade no recrutamento, a Heineken cria processos seletivos que frequentemente chamam a atenção da imprensa. Candidatos a estágio passam por diversas adversidades durante as etapas, como situações em que o recrutador começa a passar mal ou o alarme de incêndio soa. As reações dos candidatos são observadas, e aqueles que demonstram proatividade, atitude e liderança são selecionados como finalistas.

3. Johnson & Johnson: Há dois anos, a empresa inovou em seu processo de seleção de trainees, que normalmente recebe em torno de 10 mil inscrições para poucas vagas. Para avaliar como os candidatos enfrentam situações reais de negócio, a Johnson & Johnson criou um jogo virtual inspirado no conhecido jogo The Sims. A proposta é que os candidatos participem de conferências online com personagens fictícios e tomem decisões, tudo em inglês, semelhante ao que seria exigido em um dia comum de trabalho.

Dicas para se preparar para um processo seletivo diferenciado:

  • Pesquise sobre a empresa e a cultura organizacional.
  • Pratique suas habilidades interpessoais e de trabalho em equipe.
  • Esteja preparado para pensar fora da caixa e apresentar soluções inovadoras.
  • Seja autêntico e demonstre suas habilidades e competências de forma natural.

Lembre-se: Os processos seletivos diferenciados são uma oportunidade para você se destacar e mostrar seu potencial. Aproveite essa experiência para aprender e crescer como profissional.